Tecnologia e produtividade são aliados da economia remota

A produtividade é uma das principais metas de muitas organizações e profissionais em diferentes setores. Aumentar a eficiência e a qualidade dos processos, produtos e serviços é essencial para se manter competitivo e sustentável em um cenário cada vez mais dinâmico e desafiador. Nesse contexto, tecnologia e produtividade convergem para gerar mais crescimento econômico e bem-estar social.

Mas como aproveitar os benefícios da tecnologia na prática? Como se adaptar às novas formas de trabalho e comunicação que ela possibilita? Como construir confiança e segurança em um ambiente digital?

Essas são algumas das questões refletidas numa nova pesquisa encomendada pela DocuSign ao Economist Impact, que explora os impactos e oportunidades da economia remota.

O aumento da produtividade por meio da tecnologia

A tecnologia aumenta a produtividade ao permitir a flexibilidade no local de trabalho e oferecer uma base digital para os mercados online prosperarem, resultando em ganhos macroeconômicos.

Segundo a pesquisa, a economia remota tem o potencial de aumentar a produtividade (definida como PIB por trabalhador) em todos os dez países estudados, aumentando em média 10% ao longo do período de previsão (2022-2030). Isso é impulsionado, em parte, pelo aumento do crescimento da produtividade e pela expansão da participação da força de trabalho possibilitada pelo trabalho remoto.

Sabemos também que a tecnologia e produtividade estão relacionadas ao estímulo da inovação, que é um fator importante para o crescimento econômico na economia remota.

Mais investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) são necessários para entender e atender às oportunidades associadas aos serviços digitais na economia remota, em áreas tão diversas como telemedicina, logística e bancos.

Por isso, a tendência é que os gastos empresariais em Pesquisa e Desenvolvimento em todos os dez países aumentem significativamente. Segundo o relatório, esse incremento deve ser de “1,3-1,5 vezes o seu nível de 2021 até 2030”.

Sem dúvida, a iniciativa de dar prioridade aos gastos em pesquisa e desenvolvimento tem o potencial de contribuir para um forte desempenho operacional.

Além disso, a capacidade de a tecnologia facilitar a comunicação, a colaboração e as transações em tempo real e independentemente do espaço. Isso permite que as empresas e os consumidores se conectem com parceiros globais, ampliem seus mercados e reduzam os custos de transação.

A pandemia de fato acelerou a adoção de diversas tecnologias que não somente permitiram o trabalho remoto, mas também contribuíram pra uma aumento significativo na produtividade das organizações. Entenda como ocorreu esse processo!

Adoção da tecnologia durante e no pós-pandemia

A pandemia da Covid-19 acelerou a adoção da tecnologia em vários setores e atividades, como trabalho remoto, educação online, comércio eletrônico, telemedicina e entretenimento digital.

Essas mudanças foram impulsionadas pela necessidade de se adaptar às restrições de mobilidade e contato social impostas pela crise sanitária, mas também pela busca por maior eficiência, conveniência e segurança.

Consumidores e empresas passaram a incorporar processos digitais mais profundamente em suas vidas e atividades. De acordo com nossa pesquisa, “cerca de dois terços dos consumidores entrevistados relataram que a pandemia os levou a começar compras online e streaming de entretenimento ou aumentou a frequência de envolvimento em ambos.”

Além disso, “60% dos entrevistados relataram usar mais videochamadas, enquanto metade indicou um maior nível de socialização online.”

O documento acrescenta que, “desde o início da pandemia, quase 90% dos executivos pesquisados registrados aumentaram suas comunicações em plataformas digitais entre colegas e com clientes e 77% aumentaram a venda de produtos ou serviços on-line.”

E há indícios de que esse crescimento veio para ficar e que as organizações ficarão cada vez mais dependentes da tecnologia para otimizar seus processos e elevar sua produtividade. O relatório afirma que:

  • cerca de um terço dos executivos e dos consumidores acreditam que riscos complexos ou crises, como a pandemia ou a mudança no clima, aprofundarão nossa dependência digitalização;
  • 59% dos executivos e 47% dos consumidores esperam que essa dependência se intensifique no futuro.

Esses dados indicam que a adoção da tecnologia durante a pandemia não foi apenas uma resposta temporária à situação de emergência, mas uma mudança duradoura nas preferências e nos hábitos dos consumidores e das empresas.

A economia remota — que é a flexibilidade trazida pelos dispositivos eletrônicos, a conectividade à internet e as plataformas digitais que permitem a comunicação, a colaboração e as transações em tempo real e independentes do espaço — marcou seu espaço e traz novos desafios e oportunidades para todos os envolvidos.

Tecnologia e produtividade na economia remota

Segundo informado pelo relatório da DocuSign, 84% dos executivos brasileiros acreditam que a capacidade de trabalhar a qualquer hora e em qualquer lugar aumentou a produtividade e/ou eficiência.

Não é à toa que a economia remota adicionará US$ 2,6 trilhões ao PIB combinado dos dez países em 2030, com um acumulado de US$ 19,4 trilhões ao longo de 2022-2030. Isso é impulsionado, em parte, pelo aumento do crescimento da produtividade e pela expansão da participação da força de trabalho possibilitada pelo home office.

O relatório também indica que a economia remota está transformando os mercados globais, exigindo inovação e permitindo ganhos de produtividade.

Por exemplo, a maior flexibilidade permite o acesso a um grupo maior de candidatos. Esses efeitos trazidos pela economia remota catalisarão o crescimento econômico. De fato, 77% dos executivos pesquisados concordaram que a capacidade de se conectar a compradores e vendedores globais online possibilitou mais negócios transfronteiriços.

Ainda de acordo com as estimativas do Economist Impact, “à medida que a economia de qualquer lugar se expande, a produtividade crescerá em todos os dez países, aumentando em média 10% durante o período de previsão”.

Com a transformação digital, tecnologia e produtividade se aliam para dar base à tendência da economia remota. A flexibilidade trazida pelos dispositivos eletrônicos, a conectividade à internet e as plataformas digitais permitem a comunicação, a colaboração e as transações em tempo real e independentes do espaço. Como seu negócio está se ajustando a essa nova era produtiva?

Quer saber mais sobre o tema? Então, confira o relatório que produzimos sobre economia remota no qual comparamos as impressões de executivos e consumidores de 10 países para avaliar as oportunidades e os desafios desse modelo! Aproveite também para experimentar a DocuSign gratuitamente por 30 dias.

Publicados
Temas relacionados